The Bulgari Endurer Chronosprint All Blacks Special Edition continues the atmospheric look of the replica watches Daniel Roth collection and features a case made of DLC-treated stainless steel for protection against corrosion and scratches. Dial design is also very brilliant, which is replica watches uk particularly integrated into the symbol of New Zealand's Maori Totem - Silver Jue, it contains the meaning of life, growth, and equality, will be a mysterious and full of power to pass the feeling! In addition Eye-catching place 12 o'clock position of the big date window, in order to replica watches sale echo the overall style of the watch, the window uses a unique circular arch, the Arabic numerals on the calendar disk size is also set to be large, so that the wearer reads the date information. Then again is the 6 o'clock position of the small dial, which uses a rolex replica coaxial design, the 60 minutes and 12 hours time combined in a small dial display, and a long one short two pointers were specified, the timing function by the table The button control at 7:30 on the shell starts and returns to zero.
 
Artigos
ARTIGOS
MÉDICOS DISCUTEM MEDIDAS PARA AUMENTAR A SEGURANÇA DE CIRURGIA PLÁSTICA- Data 27/4/2013
OS ALIMENTOS QUE FAZEM VOCÊ ENVELHECER MAIS RÁPIDO- Data 27/4/2013
Publicidade
MÉDICOS DISCUTEM MEDIDAS PARA AUMENTAR A SEGURANÇA DE CIRURGIA PLÁSTICA- Data 27/4/2013

Em um fórum médico realizado nesta sexta-feira em Brasília, representantes da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) defenderam medidas que, de acordo com a entidade, promoveriam maior segurança a pacientes submetidos a operações estéticas e reduziriam o número de casos de cirurgias mal sucedidas. Para a sociedade, somente profissionais com especialização em cirurgia plástica e reconhecidos pela SBCP deveriam ser autorizados a realizar esse tipo de procedimento — atualmente, nenhuma lei proíbe que um médico de outra especialidade o faça.

Ser um cirurgião plástico reconhecido pela SBCP significa ter cursado os seis anos da graduação em medicina e outros cinco de pós-graduação, sendo dois deles de especialização em cirurgia geral e os outros três em plástica. A sociedade ainda exige que, na especialização, o futuro cirurgião receba um treinamento de 40 a 60 horas semanais e seja aprovado em uma prova escrita e outra oral aplicada pela própria SBCP.
Os membros da sociedade também defendem que nem todas as cirurgias plásticas possam ser realizadas em clínicas de pequeno ou médio porte. De acordo com José Horácio Aboudib, presidente da SBCP, a ideia é que um paciente submetido a mais do que duas operações estéticas de uma só vez, ou então a algum procedimento mais longo, por exemplo, somente pudesse ser operado em hospitais grandes. O mesmo vale para a lipoaspiração. “Se houver algum problema de perfuração nesse procedimento, os médicos devem partir para uma cirurgia geral, a qual uma clínica pequena não tem condições de realizar”, disse Aboudib ao site de VEJA.

Também estiveram presentes no encontro representantes do Conselho Federal de Medicina (CFM), da Associação Médica Brasileira (AMB), da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), do Conselho Nacional de Justiça e do Procon. A expectativa de Aboudib é que as discussões em torno da segurança da cirurgia plástica convençam o CFM a estipular medidas com força de lei que vão de acordo com a posição da SBCP. “Cada vez mais o CFM mostra concordar com as nossas posições e argumentos. Acredito que em algum tempo ele poderá tomar decisões a favor da população”, afirmou Aboudib, que não soube calcular o tempo que levaria para tais medidas virarem leis.

Excesso de ‘especialistas’ — Um estudo feito pela própria SBCP e divulgado em agosto deste ano mostrou que, no Brasil, há um cirurgião plástico para cada 44.000 habitantes — uma taxa maior do que a dos Estados Unidos, que é o país campeão em realização de procedimentos desse tipo. No entanto, a entidade alerta que há um grande número de médicos que se dizem especialistas em cirurgia plástica sem ter o título correspondente, o que aumenta as chances de operações mal sucedidas. São pessoas que se dizem ‘especialista em medicina estética’, por exemplo, uma especialidade que não existe pois não é reconhecida por entidades como o CFM. O levantamento da sociedade mostrou que 95% dos processos de reclamação de cirurgias plásticas mal sucedidas registrados no Conselho Regional de Medicina de São Paulo foram realizados por médicos sem o título de especialista pelo órgão.

Fonte: Veja.com 

http:// Link pra outro site se tiver2

 
 
 
 
cialis originale cialis svizzera kamagra oral jelly kamagra svizzera comprar kamagra viagra sin censura viagra original jintropin preis somatropin kaufen hgh kaufen hygetropin kaufen jintropin kaufen jintropin hygetropin bestellen kigtropin jintropin kigtropin jintropin hgh achat
duvetica mujer moncler mujer woolrich mujer canada goose mujer belstaff mujer barbour mujer woolrich madrid belstaff hombre moncler madrid peuterey mujer canada goose madrid canada goose outlet moncler outlet canada goose rea canada goose barn barbour jacka duvetica jacka moncler jacka moncler mont canada goose mont canada goose jacket woolrich parka parajumpers mont barbour mont
Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica Federe??o Brasileira
das Associa??es de
Ginecologia e Obstetrícia
Atendimento personalizado
2o a 6o feira das 08:00hs às 19:00hs
Rua Pernambuco 3130 - Redentora
S?o José do Rio Preto - SP
   
 
Copyright 2013 ? Luz Consultórios - Todos os direitos reservado - Desenvolvimento WebHead